Quinta-feira, 21 de Dezembro de 2006

O poder local

Era inevitável que o Presidente da República enviasse a Lei das Finanças Locais para o Tribunal Constitucional.  Cavaco Silva subia pelas paredes quando o então Presidente Mário Soares era useiro e vezeiro nesse procedimento, afirmando-se vítima de uma série de forças de bloqueio. Quis agora demonstrar ao poder local que não veste sempre as mesmas vestes governamentais, depois das críticas que vinha recebendo da parte dos partidos que o elegeram e que já iam tendo uma comichão miúda pelas suas sucessivas colagens ao Governo. Importava marcar a diferença e que melhor ocasião para o fazer senão quando a mexida na Lei das Finanças Locais poderia  interferir na redistribuição da influência partidária que está na base das recandidaturas presidenciais? Depois de meter supostamente na linha todas as estruturas que promovem o bem público como a saúde, a educação e a justiça, o Governo desta feita não conta com o silêncio e a conivência de Marques Mendes e Cavaco Silva, porque o caciquismo e a esfera de influência política nunca poderá ser conseguida com um poder local enfraquecido que dá usualmente música ao povo enquanto pelas portas das traseiras se vão admitindo primos e enteados...
publicado por libato às 00:46
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Não há isenção

. Tiro pela culatra

. Falta de transparência

. Palavras para quê?

. Alguém soprou para aqui a...

. Folgas camarárias

. É política

. Postos GNR

. Viva a mulher

. Arruaceiro no governo

.arquivos

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

blogs SAPO

.Visitas

eXTReMe Tracker
blogs SAPO

.subscrever feeds