Sexta-feira, 22 de Dezembro de 2006

Há mesmo Natal?

Há cerca de duas horas dei conta de uma violenta discussão entre duas pessoas do sexo feminino (não há presunção implícita, entenda-se) que disputavam um lugar de estacionamento e o tom e o teor da linguagem entre ambas era tudo menos natalício. Esta situação ocorre porque as pessoas se acotovelam na rua, nas lojas, num frenesim que as leva a estados emocionais no limiar do nervosismo explosivo. À mínima situação, a tampa da panela salta mesmo, como a situação por mim presenciada porque as pessoas são obrigadas a fazer uma ginástica financeira monumental para dar resposta às prendas do tio, da tia, do amigo, do cão do amigo e da prima que só vemos de ano a ano e não conseguem esconder o rosto crispado e a ansiedade por ter de respeitar tradições com grande exigência financeira. Enquanto o cidadão comum gasta para depois se endividar mais tarde acabando por ter um acréscimo de despesa com os calmantes que necessita de comprar devido a essa necessidade, o nosso primeiro-ministro recebe uma poltrona de mil euros oferecida pelos tachados que, imagine-se ,até faz massagens durante as horas de expediente. Quem é que disse que somos somos iguais perante esta democracia?
publicado por libato às 18:23
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Não há isenção

. Tiro pela culatra

. Falta de transparência

. Palavras para quê?

. Alguém soprou para aqui a...

. Folgas camarárias

. É política

. Postos GNR

. Viva a mulher

. Arruaceiro no governo

.arquivos

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

blogs SAPO

.Visitas

eXTReMe Tracker
blogs SAPO

.subscrever feeds